Perguntas Frequentes

Perguntas frequentes e respostas associadas.

O CAMIÃO DA RECOLHA SELECTIVA NÃO MISTURA OS RESÍDUOS. O camião é bi-compartimentado (ou seja a caixa do camião é dividida em duas partes) e são recolhidos dois materiais ao mesmo tempo, mas estes materiais não entram em contacto uns com os outros. À chegada às instalações da Resulima, os materiais são também descarregados em locais diferentes (papel / cartão e plástico e metal no interior da Estação de Triagem, em dois locais distintos e vidro no exterior).

O ecoponto é um conjunto de três contentores para deposição seletiva de embalagens usadas: o amarelo (para as embalagens de plástico e metal), o azul (para as embalagens de papel e cartão, jornais, revistas e papel de escrita) e o verde (para as embalagens de vidro). A este conjunto pode, ainda, estar associado um pequeno contentor vermelho para as pilhas.

O ecocentro consiste num parque de grandes dimensões, que recebe embalagens usadas de grandes dimensões e outros resíduos, por exemplo, madeira, eletrodomésticos, equipamentos eletrónicos, móveis, colchões, baterias de automóveis, etc.
 

São eletrodomésticos de grandes dimensões, equipamentos eletrónicos, móveis velhos, colchões e outros resíduos que, dadas as suas características ou volume, não podem ser depositados nos ecopontos, nem no contentor para o lixo indiferenciado.

Pode entregá-los, sem qualquer custo, nas instalações da Resulima, em Vila Fria – Viana do Castelo ou em Oliveira – Arcos de Valdevez.

A reciclagem de embalagens usadas consiste no reprocessamento e na incorporação dos materiais dessas embalagens na produção de novos objetos, com ou sem adição de matéria-prima virgem.


Através da reciclagem valorizamos os materiais de embalagem (os quais de outra forma teriam um ciclo de vida mais reduzido) e damos origem a diversos objectos que usamos todos os dias: paletes de transporte, revestimentos e placas para construção civil, peças de vestuário, fibras para enchimento de acolchoados, peças para eletrodomésticos de uso comum, novas garrafas e boiões, novas embalagens de vidro, livros, jornais, papel de escrita, cartão liso ou canelado, papel higiénico, mobiliário de jardim, vasos, tubos de escoamento, caixas de cassetes, aglomerados de madeira para uso no fabrico de mobiliário, entre muitas outras coisas.
 

Depois de recolhidas, as embalagens usadas são transportadas para a Estação de Triagem, onde são submetidas a uma separação ainda mais rigorosa por tipo de material. Por exemplo, os metais são separados em ferrosos e não ferrosos; os plásticos em PET, PET-óleo, PEAD, plásticos mistos, filme entre outros. Também as embalagens de ECAL (Embalagens de Cartão para Alimentos Líquidos) são separadas de todos os outros resíduos. A triagem confere aos resíduos a homogeneidade e qualidade necessárias à sua reciclagem. Depois deste processo de seleção, os resíduos de embalagens são enfardados, por tipo de material, e reencaminhados através da Sociedade Ponto Verde, para empresas que procedem à sua reciclagem.

Não deite as lâmpadas no lixo nem no vidrão. As lâmpadas não podem ser depositadas no contentor do lixo indiferenciado, pois contêm substâncias perigosas e por isso devem ser recolhidas separadamente. 

Pode entregá-las, sem qualquer custo, nas instalações da Resulima, em Vila Fria – Viana do Castelo ou em Oliveira – Arcos de Valdevez.

Reciclar embalagens usadas, ou outros materiais, traz diversas vantagens quer ambientais quer económicas: Assim contribui para:

  • economizar energia;
  • poupar matérias-primas e preservar os recursos naturais;
  • reduzir a quantidade de Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) que são depositadas nos aterros sanitários, prolongando o tempo de vida útil destas infraestruturas.

 

A compostagem é um processo biológico em que os microrganismos transformam a matéria orgânica, como estrume, folhas, papel e restos de comida, num material semelhante ao solo a que se chama composto.

Clique AQUI (irá ser redirecionado para o site a Agência Portuguesa do Ambiente e aí deverá selecionar o tema que lhe interessa).

Newsletter da Resulima